quinta-feira, fevereiro 01, 2007

Seja um mistério

Aquela história antiga, de que você machuca a quem ama: isso é uma rua de duas mãos.
Estamos na primeira fila, onde o palco é o mundo, onde a total erradicação da raça humana poderá ser assistida aqui, na frente de nossos olhos, em um piscar de olhos.
A cada segundo planos de destruição em massa e bombas de efeito biológico estão sendo cada vez mais subsidiados e em constante expansão potencial. E eu pergunto-lhe: Até quando?
Respondo-lhe: Apenas Deus sabe.
Deus.
Deus: palavra responsável, segundo pesquisas da ONU e outras organizações de renome mundial, por mais de 80% das guerras em todo o planeta Terra.
Deus.
Este ser abstrato, onipresente, onipotente, onieticétera. Será que é ele, apenas “Ele” quem sabe sobre tudo?
Será que é para uma figura abstrata e fora de nosso conhecimento que devemos pedir auxilio terreno? Enfatizo, neste momento, que não estou desrespeitando e, muito menos desmoralizando qualquer religião do mundo inteiro, faço aqui apenas uma crítica ao comportamento social perante o caos em que vivemos, “vulgo” moralismo.
Ao longo dos anos as pessoas foram adquirindo novos conceitos, sobre tudo, e abandonando e/ou refazendo antigos. Todas épocas e todas gerações têm suas próprias suposições. “O universo é finito, o universo é infinito, a Terra é plana, a Terra é redonda...”. Se formos tomar um rumo por aí veremos que várias coisas que acreditamos serem verdadeiras podem muito bem ser meras “invenções”. É claro que, historicamente falando, a maioria dessas suposições eram falsas, então: o que somos nós? Você consegue responder? Estamos presos a vários preceitos, na maioria das vezes sem ao menos saber disso, então, geralmente, tomamos como base de nossas respostas conceitos já formulados de suposições não avaliadas. Pense.

“Fazer umas perguntas profundas, como estas, a si mesmo, abre novas formas de ver o mundo, traz renovação. Torna a vida mais prazerosa. O verdadeiro truque da vida, não é ser conhecido, mas sim ser um mistério”.
(Fred Alan Wolf – PHD em Física na U.C.L.A, EUA)

Um comentário:

Guilherem(GM) disse...

Realmente,confiar em tais conceitos religiosos em tempos de guerra e preconceito podem parecer errados mas é isso,Fé, que ajuda as pessoas a passar/resolver pelas/as situações mais comuns e até as mais complicadas.Mas Sobre armas quimicas,destino mundial...só numa proxima versão da biblia...